Falso espelho,

Jia Tolentino

Identidade e autoimagem num mundo assolado pelo eu

O livro

Jia Tolentino é uma voz sem igual na sua geração. Nestes nove ensaios, escritos numa rara combinação de agudeza e generosidade, ela investiga as forças transformadoras da visão que temos de nós mesmos e do mundo lá fora. Repleto de humor, FALSO ESPELHO elucida aquilo que é absurdamente complexo de forma clara e, às vezes, brutal. Um clássico instantâneo com opinião e inteligência singulares.

Por que publicamos

Em nove ensaios, Jia Tolentino fala de identidade e autoimagem num mundo assolado pelo eu.

A autora

Jia Tolentino nasceu no Canadá, em 1988. Publicou em veículos como JEZEBEL e hoje é articulista da NEW YORKER.

trecho

Trecho do livro

Até recentemente, um de meus segredos mais bem guardados, inclusive de mim mesma, é que passei três semanas em um reality show em Porto Rico quando tinha dezesseis anos. O programa se chamava GIRLS VS. BOYS: PUERTO RICO, e o conceito era exatamente o que você está imaginando. […] De qualquer forma, eu disse aos coordenadores que esperava “ser uma luz para Jesus, mas na televisão”, e fui autorizada a participar do programa. Em dezembro de 2004, enfiei um monte de camisetas estampadas na mala e também minissaias jeans do tamanho de um lenço, e fui para Porto Rico. Em janeiro, voltei radiante e encantada comigo mesma, com sal nos cab [leia mais]

GÊNERO Não ficção estrangeira
TRADUÇÃO Carol Bensimon
CAPA Sharanya Durvasula
FORMATO 13,5 × 20,8 × 2,3 cm
PÁGINAS 368 PESO 0,615 kg
ISBN 978-65-5114-013-6
ANO DE LANÇAMENTO 2020

O que estão falando sobre o livro

“Não é exagero dizer que Jia Tolentino poderia ser a Joan Didion do nosso tempo […]. Ela é especialista em alcançar aquele ponto exato em que a política contemporânea e a cultura jovem se encontram e se abraçam.”
Vulture

“Tolentino conseguiu falar de muitas verdades inconvenientes — num estilo de causar inveja. Um livro desafiador, de inteligência cortante, que fará muitos de nós olhar duramente para o espelho. Ele me encheu de esperança.”
Zadie Smith

“A vida americana moderna, especialmente online, assume cada vez mais facetas de insanidade e até pesadelo, e FALSO ESPELHO tem algo profundo a dizer sobre como isso aconteceu.”
John Jeremiah Sullivan, autor de PULPHEAD

“[Falso espelho] é uma maravilha, captura o que parece inacessível sobre a internet e o que é crescer em sua órbita […], com ensaios que podem ser lidos de forma compulsiva e são permeados pelo elemento surpresa.”
Júri do Whiting Awards 2020

doo.is