Memórias de um doente dos nervos,

Daniel Paul Schreber

O relato pessoal sobre a loucura que mudou a história da psicanálise

O livro

Escrito em 1903 por um eminente jurista, recém-promovido à Corte de Apelação de Dresden na Alemanha, as MEMÓRIAS DE UM DOENTE DOS NERVOS apresentam, com toda a minúcia requerida pelo mais rigoroso pensamento clínico, o desencadeamento de um processo paranoico. Alguns anos depois, o livro serviu de base para um ensaio seminal de Sigmund Freud, “Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia”, lançado em 1911. Nesta edição, além da clássica tradução da psicanalista Marilene Carone (1942-87), o leitor encontra dois textos — ensaios luminosos de Elias Canetti e Roberto Calasso — que ampliam a compreensão do caso Schreber e atestam sua inquietante atualidade.

Por que publicamos

Este é um livro decisivo para a história da psicanálise. Situado em um ponto de acirramento máximo de luta contra o pai, contra Deus e contra a “ordem universal”, Schreber toca na essência da teologia política moderna e sua junção problemática entre amor e autoridade, sexualidade e poder.

O autor

Daniel Paul Schreber nasceu em Leipzig, em 1842. Na segunda internação numa clínica psiquiátrica, que durou nove anos, redigiu estas Memórias. Morreu em 1911.

trecho

Trecho do livro

Considerando que tomei a decisão de, em um futuro próximo, solicitar minha saída do sanatório para voltar a viver entre os homens civilizados e na comunhão do lar com minha esposa, torna-se necessário fornecer às pessoas que vão constituir meu círculo de relações ao menos uma noção aproximada de minhas concepções religiosas, para que elas possam, se não compreender plenamente as aparentes estranhezas de minha conduta, ter ao menos uma ideia da necessidade que me impõe tais estranhezas. É a esse objetivo que deve servir o texto que se segue, com o qual tentarei expor às outras pessoas, de maneira ao menos inteligível, as coisas supra [leia mais]

GÊNERO Não ficção estrangeira
TRADUÇÃO Marilene Carone
CAPA Elisa v. Randow
FORMATO 15,7 × 23,0 × 2,9 cm
PÁGINAS 480 PESO 0,760 kg
ISBN 978-65-5692-099-3
ANO DE LANÇAMENTO 2021

O que estão falando sobre o livro

“Todo o livro de Schreber é permeado pela amarga queixa de que Deus, habituado ao trato com os mortos, não compreende os vivos.”
Sigmund Freud

doo.is