Bom crioulo,

Adolfo Caminha

Clássico do romance naturalista, é um retrato poderoso do Brasil do século XIX

O livro

Amaro é um escravo foragido que, ingressando na Marinha, vê realizar-se seu sonho de liberdade. Graças ao biótipo sólido e sua quase inesgotável força física, torna-se um marujo voluntarioso e benevolente, recebendo o apelido de “Bom Crioulo”. É nessa nova etapa da vida que conhece Aleixo. Surge então uma história de desejo, frustração e tragédia. A publicação causou polêmica ao mostrar seus protagonistas — um negro e um branco — em uma relação homossexual.

Por que publicamos

Clássico do romance naturalista, é um retrato poderoso do Brasil do século XIX e se tornou uma referência da nossa melhor literatura.

O autor

Adolfo Caminha nasceu em 1867, em Aracati, no Ceará. É autor de VOOS INCERTOS (1886) e A NORMALISTA (1893).

GÊNERO Ficção brasileira
CAPA Flavia Castanheira
FORMATO 14x21x1,1 cm
PÁGINAS 176 PESO 0,240 kg
ISBN 978-65-80309-15-3
ANO DE LANÇAMENTO 2019
Full Squad